Cego de um olho e surdo de um ouvido

    17-10-2021

    Acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição. Colossenses 3:14

    Conflitos, desentendimentos e desarmonias entre as pessoas estarão conosco no lar, na igreja e no trabalho enquanto a depravação do pecado poluir a humanidade. Devemos lembrar, contudo, que há algo no nome do Senhor Jesus Cristo capaz de diluir a hostilidade e o espírito de revanche.
    Charles Spurgeon, conhecido pregador do século 19, em Londres, Inglaterra, tinha um amigo pastor, Newman Hall, que escreveu um livro intitulado Come to Jesus [Venha a Jesus]. Outro pregador publicou um artigo no qual ridicularizava Hall. Este, pacientemente, tolerou a ofensa por algum tempo. Mas, quando o ataque ganhou popularidade, Hall assentou-se e escreveu uma carta de protesto. Sua resposta estava cheia de retaliações, linguagem irônica, sarcasmo e revanche. Superava qualquer coisa no artigo que o atacava. Antes de enviar a carta, o Dr. Hall levou-a para que Spurgeon desse sua opinião.
    Spurgeon leu a carta cuidadosamente e a entregou de volta a seu autor. Afirmou que era perfeita e que o autor do artigo ofensivo merecia uma resposta como aquela. “Mas”, acrescentou o grande pregador, “nela falta uma única coisa”. Depois de uma pausa, Spurgeon continuou: “Sob sua assinatura, você deve escrever as palavras ‘Autor de Come to Jesus’”. Os dois homens se olharam por alguns minutos. Então Hall rasgou sua carta. Ele entendeu que aquela resposta era inapropriada diante do nome de Cristo. Imprópria para o homem que escrevera um livro sobre ir a Jesus.
    Você tem pessoas difíceis em sua vida? Um inimigo a quem você não pode perdoar? Alguém o difamou e o ofendeu? Você se considera um cristão e sabe do que foi perdoado por Ele? O mesmo Charles Spurgeon pregou um poderoso sermão, com o título “Cego de um Olho e Surdo de um Ouvido”. O texto foi me enviado por um amigo, para ser traduzido, e tem sido uma bênção extraordinária para mim. Segundo Spurgeon, se o atacarem ou falarem de você, não vá atrás, não busque saber, não tire satisfação. Isso não é para seu benefício. Para Spurgeon, não devemos ver ou ouvir tudo o que falam a nosso respeito. A razão? Nós somos essencialmente piores do que tudo aquilo que puderem falar de nós. Assim, eles não estão completamente errados!